segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Lágrimas do palhaço

Tem coisa mais hilária que enterro de palhaço? Pra quem ainda não viu é muito engraçado, coisas do tipo tragicamente hilárias. Sabe aquela sensação de fim, mas com uma continuação boa. Estranho né, mas é isso que sinto. Acho que pela primeira vez não vou reclamar de algo que serei forçado a fazer. Alias, eu nem sei o que vai acontecer ainda pra tá falando em reclamar.

O que é o que é clara e salgada cabe em um olho e pesa uma tonelada. Sempre aparece quando vc fala com o travesseiro, pode se discreta, mas sempre chama atenção. Direto penso que as coisas já foram piores, ah deixa pra lá. Meu pai sempre vira pra mim e fala - Rapha acorda, tu não é mais criança. Mas é bom sonhar, problema é quando sonho acordado. Esqueço da vida que tenho que levar, ixi mó viagem. Pelo menos ele não fala - vós não sois mais criança, ai é osso.

Qualquer dia desses eu abandono o barraco e vou tocar a vida em outro canto. Não, não to afirmando que vou sair daki nem que vou me mudar. Só quero respirar outros ares, mudar de lado. Mas e ai tem tempo pra muita coisa ainda. E nem me vem com esse papinho por que o mundo não acaba em 2012.

Um comentário:

carolina bruna disse...

eu sei que vc sempre escreve de forma descontraída, mas a parte que eu mais gostei de ler foi vc descrevendo a lágrima no segundo paragrafo, ela realmente pesa uma tonela.
mas e aí? morreu msm um palhaço? ou é só vc passando por uma fase mais séria e fez uma analogia?
de qualquer forma eu sinto muito, pois qualquer uma das situações deve ser penoso e desconfortável por hora, mas tdu se ajeita.