sábado, 13 de fevereiro de 2010

Amor amor

O mais doce dos sentimentos, a mais sublime das dores que podemos sentir. O pior machucado que podemos ter, é tudo por causa dele, amor doce amor. É lindo, maravilhoso, empolgante, visível, imprevisível, enfim é o sentimento que dá nos nervos.

Por causa dele ficamos pans, e pans também. Assim, diga - se de passagem, ele nos embriaga nos ilude, nos faz acreditar em tudo. Depois como quem não quer nada põe duvidas, certo? Certo. É impossível viver sem amar alguém. É impossível viver odiando todos. E com o amor vem um monte de coisas tipo ciúmes, raiva, ignorância, maldade, inveja, descontrole e uma porrada de coisas que não faz bem pra ninguém.

Dependendo da loucura, claro que é tudo controlável. Insignificante é aquele que quer viver sozinho, mas quando é que se está sozinho? Vai viver do lado de quem mata por dinheiro ou quem mata pra se sentir melhor? Mas o amor também mata e não vivemos sem ele.

5 comentários:

Francisco disse...

Hahaha, ainda pretende escrever um livro de autoajuda?!

Os textos estão criativos e tudo mais, mas só tem o teu blog aí da galera da Unaerp? =D

Abs

Guilherme disse...

É cara, o amor. Pena que hoje em dia ele tenha sido banalisado. Mas continuemos acreditando nele, afinal talvez seja ele que nos dê a essência humana. (Viajei hein?)

MMC disse...

O amor DEVE trazer apenas alegrias!

carolina bruna disse...

como uma menininha romantica eu devo discordar...hahaha
num acho que o amor é farinha do mesmo saco do resto dos sentimentos que vc disse.
o amor mata sim, mas quando se trata de uma mãe se jogando na frente de um carro pra salvar um filho...
o que passar do saudavel, já é descontrole, obsessão, tdu, menos amor...

Bibi disse...

Mal e bem ao mesmo tempo!!!
Bjuxxx